A equipa de organização

Jun-Prof. Dr. Meisnitzer

  Dr. Yvonne Hendrich

    Bénédict Wocker



O Departamento de Estudos Portugueses da Universidade Johannes Gutenberg (JGU) em Mogúnica (Mainz) apresenta-se...

 

A área de romanística a JGU engloba o Departamento de Estudos Românicos (Faculdade 05) em Mogúnica e a Faculdade de Tradução, Língua e Cultura (FTSK, Faculdade 06), com um campus separado, em Germersheim.

  

Português na FTSK em Germersheim (F 06)

 

Português pode ser estudado como cadeira principal na FTSK, tanto no bacharelado como no mestrado. No mestrado pode ser escolhido em tradução simultânea como chamada «língua C». O bacharelado é seguido por um mestrado em tradução ou interpretação simultânea, ambos com

duração de quatro semestres.

Atualmente, a lusitanística da FTSK está representada pelas duas cátedras da área de espanhol e português: Prof. Dra. Martina Schrader-Kniffki para as ciências da linguagem e tradução, e Prof. Dra. Cornelia Sieber para as ciências culturais e tradução.

Na área das ciências culturais e da tradução, o ensino engloba uma ampla gama de fenómenos culturais e processos de tradução, com um foco especial na prática da tradução. Quanto às áreas de pesquisa, é dada importância à construção de identidades e alteridades e às mudanças na comunicação, sobretudo no que concerne à migração, transculturalidade e às novas redes

mediáticas.

Prof. Dra. Cornelia Sieber formou-se em hispanística e africanística na universidade de Leipzig. 2003 concluiu o seu doutoramento, com uma abordagem do modernismo e pós-modernismo na América Latina, e pós-doutoramento sobre a modificação da autoimagem no decorrer da expansão portuguesa. Desde 2011 ocupa o lugar de catedrática na FTSK. As suas áreas de ensino e pesquisa são: identidade e alteridade na Península Ibérica e na América Latina na história como na atualidade, estudos das estruturas de género, dinâmicas de migração e de transculturalidade.

Dr. Marcel Vejmelka graduou-se Como tradutor e intérprete (português, espanhol) em Leipzig e Berlim, concluindo o doutoramento no Instituto Latinoamericano da FU Berlim, com uma dissertação comparando o Grande sertão: veredas de João Guimarães Rosa e Doktor Faustus de Thomas Mann.

Depois de trabalhar nas universidades de Potsdam e Giessen, começou em outubro de 2009 como docente de espanhol e português na FTSK.

Dra. Ângela Maria Pereira Nunes é colaboradora científica na área de português. Ela estudou em Coimbra (português/inglês), em Mainz/Germersheim (alemão como língua estrangeira/ neerlandês/inglês) e na Universidade de Trás-os Montes e Alto Douro (português). 2002 concluiu seu doutoramente na área da germanística intercultural, tratando a sua dissertação do trabalho de memória a partir de uma perspetiva intercultural: «Confrontando o passado europeu na obra O Ano da Morte de Ricardo Reis de José Saramago»[1].

Anne Burgert licenciou-se em Línguas, Literaturas e Culturas – Estudos Ingleses e Alemães na Universidade Nova de Lisboa e concluiu o mestrado «Língua, Cultura, Tradução», estudando português e inglês na FTSK em Germersheim, onde hoje trabalha como professora. No momento,

está a preparar a sua tese de doutoramento com o título «Tradução Como emergência. Estratégias pós-colonias de tradução como meio de visibilizar a conflitividade no conceito de lusofonia»[2].

Nas ciências da linguagem e da tradução recebem destaque as variedades do português fora da Europa, principalmente as do Brasil, tomando em especial consideração as situações de contacto que contribuíram para o seu desenvolvimento.

Prof. Dra. Martina Schrader-Kniffki estudou romanística, germanística e etnologia em Freiburg, Madri e Berlim (FU). Concluiu o doutoramento (sobre contato linguístico e cortesia verbal numa cultura ameríndia do México) e o pós-doutoramento na universidade de Bremem sobre o português colonial na bacia amazónica brasileira. A Prof. Schrader-Kniffki dá ênfase a atividades interdisciplinares no ensino e na pesquisa, como, por exemplo, aulas conjuntas de ciências culturais e da linguagem ou cooperações entre profissionais de diferentes línguas. Por ocasião da Copa do Mundo em 2014 no Brasil, organizou com Dr. Marcel Vejmelka uma conferência interdisciplinar sobre as "Línguas e literaturas do futebol no Brasil". Atualmente, está a desenvolver uma cooperação com o instituto de comunicação intercultural da FTSK, representado pelo Prof. Dr. Bernd Meyer — este também lusitanista — na área da «Linguística da tradução» com foco metodológico na análise de conversação.

Nina Gray trabalha como intérprete de língua portuguesa desde 2006. Estudou interpretação simultânea na Universidade Ruprecht Karl em Heidelberg para português, espanhol e inglês. Durante e depois dos seus estudos, viveu um tempo em Portugal e Moçambique. Começou a ensinar tradução para os cursos de mestrado no Instituto de Tradução em 2009 e em 2012, na FTSK em Germersheim.

Gunther Kunze formou-se em filologia românica (francês, português) e estudos japoneses na Universidade de Marburg, Poitiers (França) e Soka (Japão). Depois de terminar o mestrado com uma dissertação sobre a ortografia do francês sob uma perspetiva diacrónica, voltou a dedicar-se ao português. Em 2015 iniciou o doutoramento, investigando saliência e acomodação linguística no português de Salvador, Bahia. Trabalha também Como docente da FTSK na área de ciências da linguagem e tradução do português, focalizando as variedades extraeuropeias.

 

 

 

Português na JGU em Mogúncia (Mainz, F 05)

 

No Departamento de Estudos Românicos da JGU, português pode ser apenas estudado como disciplina secundária durante o bacharelado, no curso de Filologia Românica e em Linguística Geral. A redução ocorreu no âmbito da última reforma do sistema educativo no ensino superior na

Renânia Palatinado, afetando também o mestrado. Mesmo assim, o número de matrículas, em média 15 alunos por semestre, é significativo, comparando com outras universidades alemãs. Graças ao empenho de profissionais e estudantes, português conseguiu estabelecer-se como matéria de interesse, oferecendo unidades curriculares de língua e linguística, assim como de literatura e cultura dos países lusófonos.

Prof. Dr. Eberhard Geisler estudou germanística e romanística nas universidades de Frankfurt, Hamburgo e Madri, e atua, desde 1995, como professor de literatura espanhola e portuguesa na JGU. A sua área de pesquisa concentra-se na tradução literária de obras de autores espanhóis, portugueses e — principalmente — catalães dos séculos XIX e XX. O professor Geisler reformar-se-á com o 12° Congresso Alemão de Lusitanistas.

Jun.-Prof. Dr. Benjamin Meisnitzer, professor assistente de linguística românica, especialmente iberorromânica — desde 2014, estudou romanística (português e espanhol) assim como linguística alemã na Universidade Nova de Lisboa e na Universidade Ludovico Maximiliano em Munique. Interessa-se por questões de padronização e linguística variacional do português, semântica temporal e a expressão de modalidade, história da língua portuguesa, teoria gramática e aquisição de línguas. No ensino, recebe apoio, desde 2015/2016, de Jonas Grünke, colaborador científico e doutorando do Prof. Dr. Christoph Gabriel, que trabalha como docente na área da francesa, espanhola e portuguesa.

Dr. Yvonne Hendrich exerce, desde 2009, tanto a função de professora (língua portuguesa, literatura e cultura dos países lusófonos) e de coordenadora de intercâmbio académico com Portugal (Erasmus) e com o Brasil. Estudou história, português e filologia alemã na JGU e na Universidade Nova de Lisboa, concluindo o doutorado na área de história, mas com um tema de dissertação inserido no contexto luso-alemão («Valentim Fernandes – Um tipógrafo alemão em Portugal na virada do século XV para o XVI e o seu círculo»)[3]. Assuntos recorrentes nas suas pesquisas são os discursos de identidade e a migração no âmbito da lusofonia, a cultura popular brasileira, a metaficção historiográfica na literatura portuguesa e as relações luso-alemãs desde o século XV.

Em maio de 2015 Jun.-Prof. Benjamin Meisnitzer e Dr. Yvonne Hendrich organizaram uma conferência sobre «Língua e identidade no mundo lusófono», reunindo inúmeros pesquisadores de vários países de língua portuguesa e alemã em Mogúncia e cujos resultados serão publicado em 2017 na editora Ibidem sob o mesmo título.

De importância vital para o ensino da língua portuguesa na JGU é o leitorado financiado pelo Instituto Camões e compartilhado pelas duas faculdades. Desde 2005, Dr. Teresa Perdigão ocupa esse cargo.

Após o bacharelado, alguns estudantes seguem para outras universidades como Munique, Göttingen e Colónia, para tirarem um mestrado na área dos estudos portugueses. Alguns dos alunos de estudos portugueses destacaram-se já durante esta primeira fase universitária, como Lukas Müller cuja tese de bacharelado com o título «Construções reflexivas no português europeu e brasileiro a partir de uma perspetiva semântica»[4] entregue em 2015/2016, foi homenageada como a melhor da faculdade. São estes alguns dos frutos dos esforços conjuntos da lusitanística na JGU. Lukas Müller é atualmente assistente de pesquisa na Universidade de Colónia na área dos estudos portuguesas.

As inúmeras atividades e a vitalidade da lusitanística, dividida em duas faculdades, em dois campi, tornam a JGU no local indicado para a realização do 12° Congresso Alemão de Lusitanistas.

 

Além de Benjamin Meisnitzer e  Yvonne Hendrich, a equipa de organização integra também Bénédict Wocker, assistente científico de Benjamin Meisnitzer com mestrado em linguística francesa. Bénédict Wocker é sobretudo responsável pelo programa cultural do evento.

 

Para a iniciativa da realização do congresso e para a sua primeira conceptualização também são responsáveis os colegas Profa. Dra. Martina Schrader-Kniffki e Gunther Kunze da FTSK Germersheim (FB06).

 

 

 

A equipa de organização:

 

FB 05 – Departamento de Estudos Românicos, Mainz

Prof. Dr. Benjamin Meisnitzer

Dr. Yvonne Hendrich

Bénédict Wocker

 

 

Comité científico do congresso:

 

Univ.-Prof. Dr. Kathrin Sartingen (Viena)

Prof. Dr. Teresa Pinheiro (Chemnitz)

Prof. Dr. Tobias Brandenberger (Göttingen)

Dr. Doris Wieser (Lisboa)

Dr. Rolf Kemmler (Vila Real)

Jun.-Prof. Dr. Benjamin Meisnitzer (Mainz)

 

 

Notas:

[1] título original: Zur Aufarbeitung europäischer Geschichte in José Saramagos "O Ano da Morte de Ricardo Reis"

[2] título original: Translation als Emergenz. Postkoloniale Translationsstrategien zur Sichtbarmachung der Konfliktivität im Konzept der Lusophonie

[3] título original: Valentim Fernandes – Ein deutscher Buchdrucker in Portugal um die Wende vom 15. zum 16. Jh. und sein Umkreis

[4] título original: Reflexivkonstruktionen im europäischen und im brasilianischen Portugiesisch aus einer semantischen Perspektive